Este blog mudou de endereço…

Dezembro 8, 2009

Isso mesmo o que o título do post sugere.  Agora temos uma casa nova.

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com. Passa lá!

O Bicha Fêmea Vai Dar Um Tempo…

Dezembro 3, 2009

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

 

O título causou algum espanto? Mas é isso mesmo. O Bicha Fêmea ficará sem atualizações, mas por alguns poucos dias. O Bicha Fêmea chegou num momento de transição. O vucovuco virtual anda a todo vapor por aqui, e como num processo natural, chegou a hora de mudar algumas coisas nesse espaço.

Algumas reformulações que prentendo fazer, apesar de poucas, exigem um tanto mais de minha atenção. Você se lembra que não sou expert em lidar com HTMLs e afins? Então imagine que vou precisar de concentração em tempo integral do tempo que tenho para o Bicha Fêmea. Sendo assim, colocarei em prática uma máxima popular na qual acredito que há grande sabedoria: “quem não pode com o pote, nem pega na rodilha”.

Pois então, comigo funciona assim: eu não assumo nada mais do que sei que posso dar conta de maneira bem feita. Se tenho certeza que alguma atribuição será executada “mais ou menos”, eu dou um tempo e faço adaptações. É por isso que por causa das reformulações que vou fazer por aqui, ficarei um curto espaço de tempo ausente, sim?

mariejosephine.wordpress.com

Então é assim, vamos combinar um reencontro? Hoje estou avisando da minha ausência e mudanças por aqui, e quando tudo estiver organizado eu volto e aviso a você da retomada dos trabalhos bloguísticos, está bem?

Pode deixar comigo que eu farei um sinal de fumaça quando tudo estiver pronto, você só precisa ficar atenta a esse sinal. Aí, sim! Vamos todas, no maior e melhor estilo bicha fêmea de ser, retomar o nosso trololó. Combinado?

Até a volta, bonita!!!

Imagem: The Birds and The Bees

Bicha Fêmea Convidada em Foco – Luci

Dezembro 2, 2009

 

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

Passear na blogosfera é bom, muito bom. Creio que você não questione isso, não é? Melhor ainda é quando você encontra num blog um jeito de escrever da blogueira, e de ver a vida também, que te ponha a refletir sobre algo. Eu valorizo isso, e muito, num espaço virtual que eu frequente.

Nem é preciso você concordar sempre com o que lê. Alguém já disse que a unanimidade é burra, e eu concordo com isso até demais. E enriquecedor mesmo é quando a troca de ideias, ainda que contrárias, se dá num nível tão maduro que a discordância talvez enriqueça mais do que se houvesse o contrário dela sempre.

Sabia que achei um espaço assim na blogosfera? Trata-se do Vida, comandado pela Luci. Respeito muito essa blogueira, demais até, e gosto de ler suas opiniões porque vêm de uma mulher madura, segura de si e da inteligência que possui, sem meias palavras e dona de uma redação limpa, elegante, coerente e objetiva.

Não poderia ser diferente neste post em que ela é a convidada de hoje. Luci discorre sobre como ela vê a quantas anda frouxa as relações mãe e filho hoje em dia, e fala com a autoridade de quem não precisou ter parido para ter a sensibilidade inquestionável de uma amorosa e sábia mãe. Só conferir…

Por Luci – Vida

Vocês não imaginam minha surpresa quando a Lidiane me convidou para escrever para o Bicha. Coração disparou!!! Depois dos olhos arregalados e um monte de interrogações na mente, esbocei um sorriso de felicidade, mas logo pesou a responsabilidade e dúvidas. A maior delas: escrever sobre o que? No final optei por escrever sobre algo que estava na mente e no coração naqueles dias. Vocês não imaginam o parto que foi pra esse filho nascer, mas aí se eu for contar, daria outro post.EmoticonBigSmile

É um assunto que realmente me preocupa e creio que aqui, onde passam tantas mulheres inteligentes, diferentes, conscientes, poderíamos trocar opiniões sobre. Afinal, é uma grande e difícil responsabilidade: educar os homens e mulheres de amanhã, até mesmo porque os queremos felizes.

Estava na cozinha lavando a louça do almoço, ouvindo Belchior e unindo minha voz a dele, quando uma briga entre mãe e filho, em um apartamento qualquer atrapalhou nosso dueto. O que mais chamou minha atenção foi a competição de quem gritava mais alto. E no meio da discussão, ouço o filho chamar a mãe de idiota, burra. O primeiro pensamento que me veio foi de que se eu tivesse feito algo parecido quando criança, com certeza não teria passado impune.

Eu e meu irmão apanhamos um bocado (não vou entrar no mérito do merecimento EmoticonBigSmile) Ela pegava a primeira coisa que via pela frente e a mais usada era a fita métrica, já que ela estava sempre no seu pescoço, pois era costureira. Toda vez que mamãe comprava uma fita nova, nós tratávamos logo de arrancar aquela parte de metal pois não éramos bobos nem nada.

Mas tinha o outro lado. Mamãe sempre foi muito carinhosa. Adorava abraçar, beijar, brincar, até rolar no chão com a gente. Foi assim por toda a vida. Ela faleceu há 3 anos vitima do mal de parkinson e demência parkinsoniana (que só 20% dos parkissonianos têm e que é igual ao Alzheimer) e até o final ela não perdeu isso, o ser muito carinhosa. O que mais sinto falta é justamente dos seus abraços e cafunés, dos chamegos. Além disso sempre conversou muito conosco e nunca nos deixou sem respostas. Conversávamos muito e mesmo adultos, era nossa melhor amiga e a quem recorríamos sempre para pedir conselhos.

Definitivamente apanhar como muitos apanhávamos não é algo legal nem saudável, todos sabemos disso, mas o oposto, o não fazer absolutamente nada, também não.

embroideryetcetera.com Uma coisa que me preocupa muito é a educação que as crianças vem recebendo há alguns anos, ou a falta dessa educação. Houve um tempo que jovens que faziam coisas erradas, eram favelados, baixíssima renda. Hoje estão em todas as classes sociais. Vejo que o que antes era exceção, está se tornando regra. Vejo crianças gritando com os pais sem nenhum respeito, algumas vezes até batendo. Vejo pais gritando com filhos e esses nem olham pra eles e continuam fazendo a mesma coisa como se nada estivesse acontecendo. Vejo pais que não conseguem sustentar um “não”, pois para ficarem livres da insistência da criança (que é bem esperta e já aprendeu o truque,) acabam cedendo ou para abrandar a culpa de não poderem estar muito presentes. Vejo pais sem tempo para conversar com seus filhos pois quando chegam do trabalho, as crianças estão dormindo, ou chegam tão cansados e já com outras coisas para fazer, que não param para dar alguma atenção, algum carinho. Enfim, é uma série de situações que conhecemos bem, que todos nós presenciamos na família ou entre amigos.

Não sou a favor de bater, mas acho que um castigo é sempre bem vindo. Impor limites é fundamental. Porém acima de tudo creio que o que falta é demonstração de amor. Dizer “não” é um ato de amor. Sentar para “conversar” é um ato de amor. Não ficar aos gritos, manter a firmeza no que fala é um ato de amor. Dar exemplo através de suas atitudes é um ato de amor, pois as crianças aprendem muito com o que vêem. Parar para dar carinho e atenção é um ato de amor. Saber impor limites é um ato de amor. Vejo crianças, jovens, adultos que desconhecem os valores mais importantes da vida. As famílias não estão ensinando esses valores, porque muitos dos pais de hoje já foram criados sem eles. E o mais importante deles, que é o respeito, está se perdendo.

“As crianças são o futuro”. Pelo que vejo hoje, tenho medo de como será daqui mais uns anos. Como serão os filhos dessas crianças, desses jovens? Que adultos se tornarão? Que tipo de profissionais serão? Que famílias formarão?

Creio que todos nós podemos ajudar para que esse quadro mude. Sempre podemos doar algo a uma criança, a um jovem que esteja em nossas vidas. Não tive filhos, mas a vida colocou muitos filhos na minha vida e eu sempre tentei dar a eles algum valor e carinho.

Imagem: Embroidery Etcetera

Mais no Bicha Fêmea…

Bicha Fêmea Convidada em Foco – Letícia

Bicha Fêmea Convidada em Foco – Elaine Gaspareto

Bicha Fêmea Convidada em Foco – Rejane

Clique aqui e saiba sobre VOCÊ no Bicha Fêmea…

Dicas Fáceis Para Decoração De Natal.

Dezembro 1, 2009

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

Parece que devagar e sempre o clima de Natal está chegando por aqui, e começo a pensar em como decorar a casa para a chegada desta data que aprendi a gostar tanto… e já vejo por aí dicas fáceis para começar a arrumar as coisas nos meus domínios. Eu vim, claro, dividir contigo. Quem sabe você não queira aplicar por aí também, hã?

Foi assim ano passado, quando dei de cara com algo simples e que em seguida tentei reproduzir. Nada demais, mas no quesito decoração natalina nunca fiz nada demais mesmo. Só o suficiente para sentir uma alegria inexplicável dentro de mim. Sinto isso vendo as luzinhas nas ruas e lojas também…

Esbarrei em três dicas simples, que achei super fácil a reprodução. Já anotei o que eu precisaria para executar as dicas e vou atrás do pouco necessário. Se achar, teremos algo diferente aqui em casa este ano. Agora é aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Olha as dicas aqui, ó! Veja se você gosta também…

1 – A ideia impressa na foto é preencher recipientes de vidro com folhagens de plástico daquelas bem típicas do Natal. Creio que não é difícil achar esse ornamento, não? Qualquer grande centro hoje em dia deve ter lojinhas com esse tipo de material para vender. Vou tirar a “prova dos 9” e tentar achá-las, e ver qual é o resultado…

2 – Para quem tem uma janela relativamente grande como eu tenho, na sala, uma boa alternativa é encantar os olhos de quem está dentro e fora de casa com sininhos pendurados por fitas. Soooo cute! E superultramega fácil de fazer, não? Quem mais vai tentar encontrar os sininhos sou eu…

3 – Se não encontrar os sininhos, também tem outro jeito de dar graça a janela neste Natal. Já estou de olho na dica da Rafaela, do Casa Montada, que mostrou os pinheirinhos que fez para alegrar a decoração natalina na casa dela. Parece super fácil de fazer, até para uma criatura como eu, limitadíssima no trabalho com as mãos…

A propósito, a quantas anda a decoração de Natal de tua casa? O espírito natalino, ao menos para o embonecamento do lar, já chegou por aí?

Imagens: Real Simple

Mais no Bicha Fêmea…

Prateleira do Bicha Fêmea – By Ruby

Prateleira do Bicha Fêmea – Artes da Casa.

Prateleira do Bicha Fêmea – Artes da Luci

A inspiração na prática…

Pegando inspiração web afora…

Mais, fora do Bicha Fêmea…

I Wish You a Merry Christimas!, por Rafaela – Casa Montada

BICHA FÊMEA EM NOVEMBRO 2009…

Dezembro 1, 2009

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

 

 

 

Experimentando o Novo

Não raro eu recebo feedbacks em comentários e e-mails sobre a identidade bloguística do Bicha Fêmea. Ouço falar (leio?) que por aqui o espaço é dinâmico, interativo, e por aí vai. Eu chamo o dinamismo de vucovuco virtual, e a interatividade, de trololó.

Seja como for, e neologismos a parte, creio que essas características refletem meu desejo de criar no Bicha Fêmea um ambiente de encontro de pessoas e ideias. E para facilitar esse encontro, e por que não o reencontro, nasce hoje mais um cantinho por aqui. Mensalmente será divulgado um resumo do que de melhor houve neste espaço, como num apanhado de destaques do mês que passou.cupcake-candle1[1]

Creio que o ponto alto do mês de Novembro foi mesmo o aniversário de 1 ano do Bicha Fêmea. A comemoração foi intensa, e o melhor é que você veio para a festa e brindou comigo, trazendo suas reflexões sobre a blogosfera. Quem ainda não viu o quanto a festa foi animada, ainda dá para ver aqui, e aqui também.

Confira os outros destaques!

Indicação no Veja Blog
selo_blog[1] 
Pela segunda vez o Bicha Fêmea recebeu indicação para o Veja Blog.
Posts Mais Populares

Alternativas para decorar uma mesa de jantar.

Decoração de quartos: cabeceiras.

“Pitacos” de Bicha Fêmea: decoração de quartos.

Da Casa

Se você, como eu, acredita que manter as coisas ao seu redor organizadas contribuem para sua harmonia pessoal, não pode deixar de conferir cinco dicas de organização básicas para sua casa.

Decoração

Afinal de contas, o que você acha dos caminhos de mesa em tampos de vidro? Você usaria ou não?

Saiba a opinião de outras bichas fêmeas navegantes quanto a isso.

E Mais…

mulher-maravilha[1] Por que será que queremos ser sempre as heroínas?

Confira o trololó nos desdobramentos dos comentários onde todas nós discutimos sobre o complexo de mulher maravilha que parecemos ter.

Top Comentarista do Mês

“Eu tenho me divertido com a reação das pessoas na minha economia por sacolinhas plásticas. No sacolão deixo tudo solto no carrinho e levo na bolsa minhas sacolinhas para guardar as coisas e levar para casa…”

Luci, em Usar Ecobag = Ser Uma Alienígena…

A Luci escreve em dois blogs, o Vida e o Artes da Luci.

Homenagens Feitas Pelo Bicha Fêmea 

Um Blog É Mágico Quando Proporciona O Quê?

Do Sentido “Master” De Ser De Um Blog…

Que é que a França tem que faz encantar?

Que é que um blog precisa ter para ser um amor??

Feito a Mão: vale a pena ficar de olho nesse blog!

Você no Bicha Fêmea

Bicha Fêmea Convidada em Foco – Letícia

Bicha Fêmea Convidada em Foco – Elaine Gaspareto

Prateleira do Bicha Fêmea – By Ruby

Prateleira do Bicha Fêmea – Artes da Casa.

Siga o Bicha Fêmea no seu e-mail. Não custa nada!!🙂

Siga o Bicha Fêmea por feed. É de graça, viu?!🙂

Você está no Twitter? Quer me seguir? Beleza!! Me segue aí!!!

Do Que É Viver A Vida Para Mim…

Novembro 30, 2009

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

Nem é para falar sobre a novela do último horário da Globo que este post serve, mas para atender ao convite de Luci, que comanda o blog Vida há 3 anos. Aliás, o blog dela está prestes a completar 3 anos, e este post é para entrar na comemoração.

A blogagem coletiva é para falar do que o título do post suscita mesmo, é sobre viver a vida. Nossa! Tão abrangente a proposta…

A primeira coisa que veio a minha cabeça foi a tomada de consciência do que seria viver a vida em um determinado momento de minha história pessoal. A ficha caiu para mim quando perdi minha irmã há 4 anos, quer dizer, perdi a presença física.

Não se preocupe! Tocar nesse assunto hoje não significa que estou triste como naquele dia, mas que estou fazendo um favor para mim mesma de não perder de vista o que aprendi com a partida de Vania, minha irmã. Você já se deu conta que amanhã pode não estar aí?EmoticonEyebrow

Eu não me dava conta. Quer dizer, eu sabia que isso poderia acontecer comigo e com qualquer pessoa, mas essa sensação não era tão forte como passou a ser desde então.

Viver a vida tem sido uma sequência de escolhas pelo que faz sentido para mim dia após dia. Eu vivo hoje, fazendo o que eu estou a fim neste dia, o que me proporciona crescimento pessoal, o que estimula meus sentidos e me faz feliz.

Passei a ser irresponsável? Absolutamente! Isso nem combina comigo, com meu jeito de ser. Quem me conhece pessoalmente e de forma mais íntima, e sabe de minha história pessoal, me tem como sendo sensata, calma e equilibrada. Já escutei isso muitas vezes, e vai ver que é mesmo…

Portanto, eu não virei uma inconsequente, nem passei a ver a vida com excessos em romantismo ou ingenuidade. Não mesmo! A questão é que hoje eu tenho muito mais clareza e discernimento do que me satisfaz como pessoa, e eu não adio mais as coisas, nem deixo de ser honesta comigo mesma, com minhas vontades, por causa do julgamento alheio…

Cada um deve ter sua forma pessoal de viver a vida, sendo ela honesta com o que o deixa pleno ou não. Cada um sabe o quanto suporta para perder cada dia ostentando uma máscara, em prol de vaidades próprias de uma existência tão efêmera…

Cada um é que decide como quer aproveitar a dádiva de poder respirar enquanto ainda é possível, eu escolhi o meu jeito…

Qual é o seu? Não quer contar também?EmoticonHappy

Este post faz parte da blogagem coletiva proposta pela Luci, do blog Vida. Para saber tudo sobre esse movimento bloguístico de ideias, só clicar bem aqui.

A Bruxinha Pediu Para Avisar…

Novembro 29, 2009

DSC04975[2]

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

…que tem brincadeira no blog da bonita para sortear esse mimo aqui do lado, onde você pode rechear de bijous para deixá-lo mais charmoso ainda.

Se quiser brincar também, só saber como clicando bem aqui.

Tudo isso sabe por quê? É aniversário do Coisas da Bruxinha!!!!

Quer Ver Uma Imagem Inspiradora?

Novembro 27, 2009

flor

**O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

Que tal esta aí em cima? Ela me inspira a enxergar o fim de semana que está por vir como um tempo bom, de alegria, de vida…

Isso te inspira também? Na dúvida, deixei aqui para que você visse e, oh! Faça bom proveito do que essa linda imagem te suscitar…

… espero que seja o melhor!!!

Bom fim de semana para nós!!!!

Imagem: My Saturnalia

Um Blog É Mágico Quando Proporciona O Quê?

Novembro 27, 2009

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

Fiquei fazendo a mim mesma esta pergunta quando pensava na homenagem que faria com esse mimo logo aqui abaixo. E o que me veio a cabeça foram as sensações de enternecimento e surpresa, todas passando pelo viés da sensibilidade e bom gosto sutis, que um blog pudesse me causar.

Eu gosto de ter essas sensações quando passo por um blog, porque certas vivências fazem com que nossa criatividade seja beneficiada também. E um dos espaços virtuais que têm proporcionado essas delícias em minhas visitas é o Casa de Catarina, editado pela Letícia.

Depois de assumir para mim mesma que tenho a impressão de que seus textos, imagens e vídeos me levam para um mundo mágico, onde minha imaginação corre solta, tentei me recordar quais elementos que aparecem por lá que são reponsáveis por isso…

selo seu blog é mágico

Já contei que Letícia trabalha com a criatividade a todo momento em três vertentes? A bonita lida com Arquitetura, é bailarina e produz fofurices artesanais.

Não raro ela fala do desejo de intensificar a produção craft, e a cada nova criação que mostra, há toda um história de significados por trás. O nome por si só desse novo projeto pessoal, o Casa de Catarina, tem todo um peso emocional.

Dei por deliciar-me com vídeos de bailarinas flutuantes selecionados por Lelê (é como ela se deixa ser chamada pelos amigos), como que presentes que ela dá (e eu aceito) para aguçar nossa capacidade de sentir…

Você não quer ser tocado pela sensibilidade da Lelê também?

Esse selo inédito e tããão bonitinho recebi da Sonia, que edita o De Tudo Um Pouco,  e da Patrícia, que escreve no Ainda MininaMá. Obrigada, meninas!

Mais no Bicha Fêmea…

Do Sentido “Master” De Ser De Um Blog…

Que é que a França tem que faz encantar?

Que é que um blog precisa ter para ser um amor??

Desdobramento dos comentários e do Twitter…

Novembro 26, 2009

O endereço do Bicha Fêmea agora é www.bichafemea.com, você vai dar uma passadinha por lá?

Ontem eu postei aqui no Bicha Fêmea uma indicação de post bacana, que foi escrito pela Fernanda, do blog Devaneios Domésticos. O post vale mesmo a leitura, porque mostra o relato do que aconteceu com a Fernanda, que levava uma vida acelerada (como a da imensa maioria das mulheres) e não parava sequer para prestar atenção no que estava acontecendo com o corpo dela. O post vale como alerta.

O ritmo de vida de Fernanda hoje em dia é outro, por escolha dela, porque felizmente foi possível ela dar espaço ao que era prioridade na sua vida.

Fabiana, que edita o Ideias, Detalhes & Dicas, refletiu sobre o que leu, questionou aqui no Bicha Fêmea e no Twitter (me segue aí!! – @bichafemea):

“…porque será que queremos ser sempre as heróinas?”

A pergunta deu “pano para manga”, pelo menos para mim, porque me pus a pensar na pergunta de Fabiana, e respondi:

Boa pergunta, Fabiana!

Difícil é não encontrar uma mulher que não tenha tomado para si, em algum momento da vida, esse papel, o de heroína. Eu também estou nesse meio… mas estou tentando me desvencilhar dessa armadilha, ao passo em que muitas vezes passei a questionar minha postura e pensamentos.

Comecei a pensar: se é possível ter uma vida menos acelerada, por que viver o contrário?

Evidentemente, não é possível para muitas mulheres esse tipo de escolha. Também é verdade que há muitas delas que levam uma rotina abarrotada de atividades, e são felizes assim. Mas eu me percebi não sendo, e assumi que outro modelo é que me fazia bem.

Sempre escutei o ditado de que o que é de gosto, é o regalo da vida (é assim?). Portanto, se a forma como se vive, apesar de cansativa, deixa a pessoa feliz, ótimo. Mas se não, e na verdade esse modelo de vida é o causador de exaustão diária, além de reclamações, por que continuar? Eu não continuei…

Nesse momento chego na opinião que tenho para a sua pergunta: eu acredito que a mulher sempre quer ser heroína porque aprendeu como verdade absoluta que para ser respeitada ela tem que “se virar nos 30”, nem que para isso ela leve uma vida no limite do cansaço e sem qualidade de vida alguma.

Qual a vantagem disso tudo mesmo? O que motiva esse tipo de postura? Eis mais alguns questionamentos…

Pois é, bonita! Foi isso aí logo acima que eu respondi para a Fabiana. E depois de dar minha opinião, adivinha qual dúvida veio a minha cabeça? Saber tua opinião sobre o porquê de as mulheres quererem sempre ser as heroínas.

As bichas fêmeas falam…

Fernanda, Devaneios Domésticos:

“…Acho que esta “vida louca, louca vida, vida breve” como já dizia Cazuza é uma constante auto afirmação. É fruto de uma sociedade que impõe, que cobra e que maltrata…”

Luci, Vida:

“…vejo as mulheres se questionando sobre tudo isso e não apenas se enfiando em tudo sem pensar. Tem que escolher prioridades, tem que aprender a deixar certas coisas prá lá, saber que sentar com os filhos e brincar um pouquinho relaxada é mais importante que a louça suja que está na pia (um exemplo simples, viu?) e o mundo não vai acabar por causa disso. Tem que parar de se preocupar com os outros, o que pensam, o que cobram, e principalmente se cobrar menos. “É preciso saber viver” porque senão a vida vem e te derruba e mostra que você pode parar que a vida não para…”

Dricca Kastrup, DRICCA KASTRUP:

“…Entendi, com ajuda de terapia, claaaaaaaaaro (meu terapeuta é simplesmente o máximo!) que, quando a gente aprende a se exigir menos, ganha o bônus de exigir menos do outro também, passa a compreender melhor a humanidade própria e alheia. Gente, alow ! O ser humano não é nem tem que ser perfeito ! A gente tem que se perdoar, tem que relevar !…”

Rosi, Mundinho Particular:

“Confesso que sou contraditória, reclamo da correria, mas sinto falta dela. Sou uma típica heroína: filha, profissional, amiga, mulher e amante. Ajudo sempre que posso, ligo, dô conselhos, me importo com os problemas dos outros, sofro, isso me cansa, mas é o que me move…”

Patrícia Pirota, Ainda MininaMá;

“…Não dá pra negar que os movimentos em prol da emancipação feminina afetaram por demais o comportamento das mulheres que vieram depois deles. É como se fôssemos, hoje, obrigadas a honrar os sutiãs queimados em praça pública tantos anos atrás.
E assim se vai engolindo o tempo com água, pra ver se consegue-se dar conta de fazer tudoaomesmotempoagora.
Eu já cansei de tentar ser a Mulher-Maravilha [até porque aquele collant é soooo last week xD]. Aceitei minhas limitações, minhas escolhas. Corro sempre, faço muita coisa, mas sempre o que me dá prazer. E se vou deitar na cama podre de cansada, fico feliz por ter feito o melhor pra mim, por mim, por ter feito o que quis…”

Flávia Zocoler, Casa da Flá:

“…Colocar-se na condição de heroína é uma opção. O importante é não esquecer que não temos super poderes e sair por aí, querendo salvar o mundo e esquecendo de si mesma.

O que podemos fazer de melhor para o mundo começa com o cuidado e o respeito que devemos ter com nossos limites. Aí está o segredo da Mulher Maravilha!…”

Claudia Ramalho, Feito a Mão:

“…O fato de sermos descritas como o sexo frágil cria um estigma que para muitas é ruim. Eu não preciso de ninugém para me dar suporte, mas posso precisar de ajuda eventualmente. Isso não me torna menos mulher, menos capaz.
É complicado… O que estamos fazendo aqui é uma verdadeira terapia de grupo…”


Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.